speaker-info

Luciano Dias Lourenço

Responsável pelos Departamentos de Regularização Fundiária, Cadastro e Avaliação e Reassentamento do DERSA

Formado pela Universidade Católica de Campinas – PUCCamp (1991); graduado em Engenharia, com ênfase em Arquitetura e Urbanismo pela Universitaet Gesamthochshule Kassel (GHK) – Al (1996); e pós-graduado pela Universitaet Gesamthochshule Kassel (GHK) – Al (1999) em Arquitetura, com ênfase em Planejamento Urbano Ambiental. Entre 2.000 e 2.010 trabalhou nos municípios de Votuporanga, Mauá, São Paulo, Várzea Paulista e São Bernardo do Campo, atuando como Coordenador de Programas Ambientais, Diretor de Habitação, Supervisor de Projetos e Assessor de Diretoria, nas Secretarias de Planejamento Urbano, Meio Ambiente e Habitação.

Atualmente trabalha na DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S.A., empresa de economia mista, vinculada à Secretaria de Transportes e Logística do Estado de São Paulo, onde atua como Gerente da Divisão de Desapropriação e Programas Sociais – EG/DIDEP.

Na DERSA é responsável pelos Departamentos de Regularização Fundiária, Cadastro e Avaliação e Reassentamento, que engloba a elaboração de cadastro, desapropriação, regularização fundiária para os empreendimentos geridos pela DERSA; assim como a elaboração, implantação e gerenciamento dos Planos de Compensação Social e Reassentamento Involuntário para famílias residentes em áreas irregulares e de risco, e Planos de Desenvolvimento Comunitário para famílias afetadas direta ou indiretamente pelas obras de infraestrutura.

Principais projetos em andamento:

  • Rodoanel Mario Covas – Trecho Norte = Desapropriação, cadastro e avaliação – total de 7.113.205,24 m²; custo estimado para as ações de desapropriações = US$845 milhões de dólares – 29% do valor do Projeto;

Reassentamento – Remoção de aproximadamente 7.000 (sete mil) famílias direta e indiretamente afetadas; custo estimado – gerenciamento social, indenizações (residências, comércios, apoio habitacional, etc), auxílio moradia e compra de UH´s = US$ 240 milhões de dólares – 8% do valor do Projeto.

  • Rodovia Nova Tamoios – Contornos = Desapropriação, cadastro e avaliação total de 3.109.548 m²; custo estimado com cadastros e desapropriações = R$ 315,2 milhões;

Reassentamento – Remoção de aproximadamente 900 (novecentas) famílias diretamente afetadas, custo estimado – gerenciamento social, indenizações (residências, comércios, apoio habitacional, etc), auxílio moradia e compra de UH´s = R$ 80 milhões.

  • Rodovia Nova Tamoios – Planalto = Desapropriação total de 1.207.423 m²; custo estimado com cadastros e desapropriações = R$ 31,2 milhões.

PALESTRAS

Case III – Programas de remoção involuntária decorrentes de concessões rodoviárias e ferroviárias.

Auditório Principal e Transmissão ao vivo para o salão nobre

Temas: Serão apresentados dois casos concretos de programas de reassentamento decorrentes de obras de infraestrutura rodoviária e ferroviária: 1. O caso do rodoanel de São Paulo   2. Programas de remoção da VALE S.A

Case III
Leia Mais